ECONOMIA FISCAL E INOVAÇÃO

Aqui no blog você se informa sobre tudo o que compete ao universo fiscal: alterações legislativas e normativas, obrigações acessórias, regimes especiais, jurisprudência, e muito mais.

A importância de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação para a superação da pandemia de Covid-19

A crise

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 a grande pergunta é: como serão os negócios pós-covid? A crise do coronavírus propiciará um mundo pós-pandemia com ampla capacidade de transformação digital, visto que necessitamos de adequação em uma situação sem precedentes. Em escala global, inicia-se um movimento em busca do ajuste imprescindível para que se mantenham as atividades.

Por que a crise pede inovação

Todas as questões vindas à tona junto ao vírus necessitam de um esforço de pesquisa e de inovação muito grande e ágil, para que possam dar respostas em tempo de minimizar os efeitos da crise na sociedade. Temos, hoje, uma diversidade de mecanismos digitais já existentes, assim como o desafio de criar novas soluções para as novas demandas.

O Brasil tem investido muito pouco e está mal posicionado em rankings como o Índice Global de Inovação (66°). As empresas que se submetem a riscos para inovarem são mais vulneráveis ao prejuízo.

Logo, quanto mais crédito tributário for oferecido, mais incentivo ao desenvolvimento da atividade de inovação é concedido. Desta forma faz-se quase que obrigatório o uso de incentivos fiscais para que as atividades de riscos se mantenham constantes via redução de tributos.

Como a Lei do Bem pode ajudar no investimento em PD&I

A política de fomento à inovação viabiliza atividades de inovação que não aconteceriam caso aquela não existisse. O efeito da Lei 11.196/05, mais conhecida como Lei do Bem , hoje a maior linha de subsídio disponível à pesquisa, desenvolvimento e inovação nas empresas, mostra que há um crescimento no gasto em PD&I, ou seja, induz a maiores atividades de inovação, reduzindo os custos dessas atividades.

Ora, se a crise do coronavírus deixa claro que há uma necessidade de transformação, empresas que investem nesse sentido tenderão a manter-se em constante crescimento, vide necessidades do mercado.

Para o Brasil, principalmente nesse momento, não importa apenas o aumento da quantidade e redução do custo da PD&I. Torna-se necessário a ampliação da capacidade científica de modo que o país aumente sua capacidade tecnológica e sua presença e competitividade no mercado internacional. Além da necessária adequação e desenvolvimento trazidos pelo cenário pandêmico. Veja aqui como investir em PD&I.

Para que o benefício da Lei do Bem seja usufruído em seu teto máximo e de acordo com o que é esperado pelo MCTIC – Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – faz-se essencial o assessoramento de uma consultoria científica qualificada e especialista no tema. Saiba mais sobre o assunto contatando um de nossos consultores.

Autora: Vivia Aguiar