Iso gt consultoria

Inovação e Liderança: A ISO 56.002

Como tangibilizar a qualidade de liderança e inovação? A resposta desta pergunta veio da  ISO – International Organization for Standardization, maior empresa de desenvolvimento e publicação de normas, com sede em Genebra, na Suíça. Em julho, uma atualização recente com 163 países membros identificou as melhores práticas de inovação, resultando na ISO 56.002 e tem como objetivo a disseminação da cultura de inovação nas empresas.

A primeira empresa no Brasil a receber certificação da ISO 56.002 foi a Palas, em agosto. O sócio-fundador Alexandre Pierro explica: “É uma certificação internacional que garante que a inovação não seja apenas um discurso, mas sim uma cultura inerente ao cotidiano da empresa. A proposta é criar uma política capaz de suportar a organização no desenvolvimento de novos processos que acompanhem o mundo volátil em que nos encontramos”.

A proposta da certificação é criar uma política capaz de suportar a organização no desenvolvimento de novos processos e, de acordo com dados internos da FIESP/CIESP, o mercado brasileiro tem muito espaço para isso: atualmente, apenas 2% das empresas brasileiras estão aptas para migrar para a indústria 4.0. 

Inovar ISO 56.002

A ISO 56.002 tem em mente a sustentação de seis pilares, que são a liderança visionária, a gestão de insights, a gestão de risco, a cultura adaptativa, a realização de valor e, por fim, a abordagem de processos. Veja como Elisa Tawil, que ao lado de Marc Tawil, desenvolveu o conceito Networking 4.0, coloca os conceitos da ISO: 

  • Liderança visionária: muito mais que visão além do alcance, ser visionário na indústria 4.0 é antecipar tendências, estar atento ao que o mercado tem feito e o que virá. Agora será possível mensurar quem realmente está liderando fora do seu próprio quadrado. 
  • Gestão de insights: quando Felipe Schucman explicou como a QuintoAndar funciona, ele enfatizou como a startup lida e dá voz a TODOS que interagem com ideias e sugestões. Além de destacar o modelo de como testar ideias, mesmo que elas não sejam as mesmas dos fundadores. É a nova era na qual todos têm voz, logo é preciso fazer a gestão dessas sugestões, opiniões e insights. Prova disso é que o QuintoAndar acaba de receber aporte de R$ 250 milhões.
  • Gestão das incertezas: seria a versão 4.0 da gestão de riscos. O destaque aqui é a mudança de mindset. ISO reafirma que o foco agora é no indivíduo e não mais no objeto. Não estamos mais falando do risco, que pode ser atribuído ao processo, mas sim a incerteza, que é um sentimento ligado à liderança. 
  • Cultura adaptativa: respeitar as mudanças do mercado, reagindo a elas de forma resiliente e flexível. Este é o viés adaptativo ao qual nos referimos. Mais uma vez o papel do líder torna-se fundamental para difundir a cultura da empresa. 
  • Espírito colaborativo: pratique a escutatória. Saiba ouvir, dedique-se a se colocar no lugar e entender as dores do outro, crie e cultive um canal de diálogo com todos. O seu concorrente deixa de ser seu inimigo para ser um case de estudo, sempre pense que há espaço suficiente e mercado para todos. Sua empresa é parte de uma constelação e não mais o centro do universo, a frase: “Precisamos que nosso concorrente, nosso parceiro de negócio, nosso time performe” é uma opção. Ninguém sai ganhando quando há uma crise no setor, seja numa área da companhia, seja no time ou na economia. Estender o braço para quem precisa vai te trazer muito mais do que uma nova certificação.
  • Adoção de valores de criação: agora sim iremos mensurar e tangibilizar o propósito das empresas, deixando o discurso de lado e traduzindo, para prática, as ações que vão além de dar resultado e lucro aos acionistas. O que você quer deixar de legado e o que o mundo perderia se você e sua empresa não existissem? A nova certificação também vai guiar e mensurar esses indicadores.
  • Direção intencional: aqui a resposta para “o que o mundo perderia sem você e a sua empresa” é colocada na prática. Saber para onde se está indo é ter a direção intencional. São abordagens que, sozinhas ou em conjunto, transformam a maneira como nos comportamos, interagimos, impactamos pessoas e colhemos frutos durante a Transformação Digital e a Revolução Industrial 4.0.

Atualmente, é válido observar que a ISO 56.002 está ao alcance de qualquer empresa que deseje garantir que seus processos de gestão sigam as melhores práticas do mundo com foco em inovação. “Essa será uma grande oportunidade de transformar as empresas brasileiras, disseminando condutas inovadoras ideais para enfrentarmos os desafios que estão sendo impostos todos os dias. As empresas já perceberam que o mundo mudou e elas precisam mudar junto para continuarem ativas”, finaliza Alexandre Pierros. 

RECEBA MAIS INFORMAÇÕES

Deseja receber nossas informações?

Preencha seu nome e seu e-mail e mantenha sempre atualizado.

PESQUISA E INOVAÇÃO: VISÕES E INTERSEÇÕES

PESQUISA E INOVAÇÃO: VISÕES E INTERSEÇÕES

O intuito desta obra é apresentar as relações entre conceitos, processos e resultados das áreas de pesquisa acadêmica e da área de inovação no Brasil